sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Comércio Tradicional


Escondidas pelos grandes escaparates dos centros comerciais, dos franchisings e das luzes de néon das grandes cadeias internacionais, olhando com atenção, ainda podemos encontrar velhas lojas pequeninas.

Lojas de comércio tradicional que nos trazem à mente a ideia de uma outra época, aquela dos grandes armazéns Grandella, de lojas de panos, sementes, bacalhau, chás e chocolates, onde as nossas avós faziam as suas compras, sem esquecer nada. Aquelas lojas que ainda vendem produtos antigos, onde o senhor que está atrás do balcão conhece pelo nome todos os seus clientes.

Tenho saudades, deste comércio tradicional. Tenho saudades, de ser recebido pelo padeiro com um sorriso sincero, de cheirar a fruta, à porta da mercearia, de dizer boa tarde ao homem do talho e de ouvir o vernáculo das peixeiras na praça…

E assim nasceu, uma nova rubrica neste blog, "O Comércio Tradicional". Rubrica, que através de fotografias vai mostrar o antigo e tradicional comércio das lojas de rua. Desde as velhinhas tascas de aldeia, onde se a ASAE entra-se, as fechava imediatamente, passando pelas quase centenárias mercearias de bairro em Lisboa, tudo se vai mostrar...

5 comentários:

Isa GT disse...

Também tenho saudades.
Perto da minha casa, tirando as lojas das chinesices só há supermercados... Pingo doce, Dia, Lidle, Continente,... nem uma lojinha de comércio tradicional e, há uns tempos, tive de me deslocar a outra área de Lisboa e, nem de propósito... passei perto de uma dessas padarias antigas, entrei e enquanto comia um bolo, muito mais barato do que na pastelaria, fiquei um tempão na conversa com o padeiro e mais uns clientes lá do bairro... que bem que me soube... o bolo e a conversa ;)

Bjos

Zé Manel disse...

Lembras-te quando moravas em Benfica? Da D. Ana a padeira. Da D. Eulália e do sr. Vicente da merceria. Lembras-te do limões e laranjas em miniatura, dos gelados comprados no Oliveira. O Sopas era uma Mercearia e o Jugo do Lavrador 2 uma loja de móveis.

ELEMENTO MUSICAL disse...

Infelizmente tudo isto vai acabar por completo, mais cedo ou mais tarde. :(

polittikus disse...

@ Zé Manel:
Lembro-me de tudo isso e de tu seres apanhado dentro da mesa de matrecos no Oliveira a viciar a coisa.( tinhas uns 12 anos) lololol

Fê-blue bird disse...

Parabéns por esta excelente ideia.
Também tenho saudades do merceeiro com as suas velhas batas, das tasquinhas onde havia sempre umas pataniscas e ovos cozidos no balcão.
Nasci num bairro alfacinha e guardo na memória estas lojas que fizeram parte da minha infância.

Beijinhos e bom fim de semana