terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Acordo Ortográfico. Não, obrigado...


Por regra, fazemos por escrever correctamente o português. Exceptuando uma ou outra situação, por vezes decorrente de uma edição apressada e sem revisão ou pela gralha provocada pela falta ou troca de um ou outro caracter teimoso; que nos julguem os leitores mais capacitados mas entendemos que por aqui o português ainda é português.

Esta introdução serve para avisar ou prevenir os leitores, pelo menos os habituais, que este blog, propositada e esclarecidamente, não vai cumprir o acordo ortográfico da língua portuguesa que dizem já ter entrado em vigor, precisamente no arranque do novo ano. Acordo ortográfico, não...

Felizmente, não sou o único a pensar assim.

18 comentários:

DOMINGOS QUINTAS disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DOMINGOS QUINTAS disse...

ehehehe, já somos dois. E se todos fizessem o mesmo, o tal acordo do portinhol Brasileiro ia por água abaixo. Basta que os Professores boicotem, continuando a ensinar o Português de Raiz para que a "ridícula mutação" do Português Abrasileirado seja uma tentativa frustrada de invasão gramatical. Afinal, a Língua não é Brasileira, porque não existe: existe sim... Língua Portuguesa! Se algo for necessário rectificar, que seja rectificado no vocabulário e gramática dos considerados povos que usufruem da nossa Língua, ou então... se não gostam... que usem o Crioulo.
Os anti-patriotas vendem a nossa raiz linguística, os tais que... se calhar nem sabem quem foi Camões.
Abaixo o "PORTINHOL"!

Teófilo Silva disse...

Um bom comentário de Domingos Quintas. Como o país está a ser vendido aos poucos, não é de estranhar que nem a lingua escape.
A Lingua Matriz é a Portuguesa. Abaixo as mutações.

Marisa disse...

SIM PELO ACORDO ORTOGRÁFICO:
Sou pelo acordo de tudo o que permita melhores e maiores relações entre o mundo da lusofonia que não é propriedade de Portugal mais sim de todos os países que falam o português, Portugal incluído.

A política do orgulhosamente sós não resulta. Portugal tem mais a ganhar com este acordo do que o Brasil, por exemplo, e também Angola e Moçambique.

Believer disse...

Felizmente neste país há mais do que velhos do restelo. A Língua Portuguesa não é património de Portugal, é património dos países que a usam. Não sei porque não escreves pharmacia, como a minha avó fazia. É que o teu argumento é igual ao dela!

Isa GT disse...

A mudança só pode ser gradual e natural, não podemos, de repente,... escrever de modo diferente só porque resolveram que, agora, já entrou em vigor o acordo e tenho de passar a escrever coisas que, para mim, nem sequer fazem sentido.

Bjos

Fê-blue bird disse...

Eu só escrevo como aprendi e no meu blogue tenho até um aviso;-)
Beijinhos

Teófilo Silva disse...

Ora aí está uma linguagem genuinamente Portuguesa!
OS VELHOS DO RESTELO.
Bué fixe, meu...
Também fará parte do acordo?

donatien alphonse françois disse...

Ora, que se lixe o acordo...Deveria ter sido referendado, uma vez que é como se fosse um tratado.
No meu blogue continuo a escrever com a mesma ortografia.

Mac Adame disse...

Dou toda a razão à Marisa quando diz que a língua portuguesa "não é propriedade de Portugal mas sim de todos os países que falam português". Por isso mesmo discordo totalmente de Domingos Quintas quando se refere a "povos que usufruem da nossa língua". Os brasileiros, por exemplo, tal como os portugueses, não têm outra língua, e por isso o Português é tanto deles como nosso.

No entanto, sou contra o acordo ortográfico. Sobretudo contra ESTE acordo ortográfico que não unifica coisíssima nenhuma. Como se diz naquele blog cujo link aqui deixaste, este acordo apenas substitui umas diferenças por outras diferenças. Qual é o sentido de um acordo assim?

Depois, tomemos o caso do inglês. Desconheço que o inglês alguma vez tenha tido necessidade de um acordo ortográfico (se teve, peço desculpa pela ignorância). No entanto, é língua oficial em dezenas de países e transformou-se em língua universal, a única entendível por quase todo o mundo. Para defender a língua portuguesa, em vez de perderem tanto tempo a fabricar acordos ortográficos, mais valia gastarem esse tempo a tentar perceber como é que os anglófonos conseguiram tornar o inglês na língua mais importante do mundo sem terem feito acordos ortográficos. Isso sim, seria defender o Português.

Teófilo Silva disse...

Ora aqui está alguém com bom senso. Estou totalmente de acordo consigo e com parte do que disse Domingos Quintas. Estou de acordo quando ele diz que a os países que falam português, devem ser eles a adoptar a nossa língua e não o contrário.

aflores disse...

NÃO, OBRIGADO!!

Mas, infelizmente, não devemos ter muita ajuda....a começar pelos jogadores de futebol, treinadores e até políticos que quando se passeiam pelo estrangeiro, fazem questão de falar uma língua que...nem sim, nem sopas:(

Saltapocinhas disse...

já eu sou completamente a favor do acordo...
e ó domingos, sou professora dos mais pequeninos e já os vou ensinando a escrever à nova maneira.

eu só gostava que os que são contra o acordo tivessem de escrever como no tempo d'el-rei d. dinis, e isto para não ir mais atrás na história.

o que diferencia uma "língua viva" de uma "língua morta" é que esta última não evolui.

O cozinheiro solitário disse...

Olá a todos os que vão ler este comentário neste blogue ou noutro muito bom como este. Pois é, estou encantado com todos estes posts bem feitos, quase que desenhados. Pois, eu gostava de fazer igual, mas não consigo. O meu dilema agora é cozinhar… A vida é dura e obrigou-me a morar sozinho, e a cozinha não é de todo o meu local favorito. Mas estou a tentar conhecê-la, mas as aventuras têm sido imensas. Fiz um blog humilde para colocá-las em forma de crónica pouco extensas. Gostava muito que todos vocês o visitassem e se possível o seguissem. É que tentar cozinhar e depois não ser ajudado, é algo muita mau.
Cumprimentos a todos!

http://tenhosalfaltamecolher.blogspot.com/

polittikus disse...

@ TODOS:
A minha opinião é conhecida. Respeito todas as opiniões dadas neste blog. Apenas desejo que as minhas filhas crescam com o nome Cátia com C e não com K. Que no dia do casamento se vista um fato e não um terno. Que possa dizer merda e não merreca. E acima de tudo que possa dizer:" Bom dia. Como está?" e não: "Ui, tudo jóia?"

Anónimo disse...

Evoluçao sim, mas nao este acordo (!) obrigaçao que nao faz qualquer sentido.
Sou tradutora português-francês e nao sei como vou dar contar do recado.

NFG disse...

só sei que o meu computador ainda distingue o Português de Portugal do Português do Brasil!
Nos tempos de hoje se o computador diz é porque é verdade!!

Agora verdade seja dita...com a "tristeza" que vemos o nosso Português ser tratado não é um acordo luso-brasilagolano que o vai piorar... venha lá ele. Pode ser que se vejam menos erros cometidos pelos pseudo eruditos da TV

Ricardo Lopes disse...

por muitas leis que saiam.. por muitos livros que eu compre.. por muitos anos que passem.. eu vou sempre escrever PORTUGUES que sempre aprendi, não vou deixar os meus filhos aprenderem desta forma! Portugal já cá estava antes do resto. Portugal evoluiu toda a sua fala ao longo dos anos.. e agora querem regredir tudo o que evoluiu? se eu for preso por escrever bem.. então vou com orgulho e honra no meu pais!