quinta-feira, 3 de março de 2011

As 7 Maravilhas da Gastronomia


As "7 Maravilhas®" são um promotor por excelência da identidade nacional de Portugal. Após a divulgação e promoção do património histórico e natural do nosso país, as "7 Maravilhas®" vão continuar a explorar os grandes valores e paixões dos portugueses, em que o público participa através do voto.

O ponto de partida é a gastronomia tradicional, mas a evolução na forma de confecionar e a abordagem contemporânea dos grandes chefs não será esquecida. A ementa vai ainda incluir os ingredientes, os produtos, os protagonistas e as regiões. As 7 Maravilhas a eleger vão reflectir todas as componentes da boa mesa portuguesa, associadas a regiões que as representam, e será seguramente um roteiro imperdível.

As 21 Finalistas são apresentadas a 7 de Maio de 2011 e tem início a votação pública por SMS, chamada telefónica, internet (www.7maravilhas.pt) e Facebook. A votação decorre até 7 de Setembro e os 7 vencedores são revelados no mesmo mês, numa cerimónia única, a transmitir em directo a partir de Santarém pela RTP.

3 comentários:

Rogério Pereira disse...

Poderá ser um excelente estimulo ao regresso à saudável dieta mediterrãnica. Esperemos que tal seja contido, por falta de produção de produtos nacionais que sendo fáceis de obter no formato do concurso não o serão no mercado do abastecimento das famílias... (30% de terreno cultivável está improdutivo e a balança alimentar é fortemente deficitária)

Anónimo disse...

É um facto , recebemos ajudas da CEE para deixar os terrenos em pousio; para abater a frota pesqueira ,para nos impinjirem os produtos dos quais os mesmos países eram e são excedentários. Hoje ,somos um país que depende de todo e qualquer produto porque deixou de produzir. É necessário importar toda a espécie de alimento que necessitamos , daí que a nossa economia seja francamente deficitária,comemos tudo aquilo que não produzimos,não valorizamos o que é nosso.Elevemos o nosso Ego !!!!!!

polittikus disse...

@ Anónimo das 22:04
Infelizmente somos uma minoria, a maioria ainda compra em função do status e das modas. Se Portugal produzi-se e compra-se o que se cá produz, o défice era uma brincadeira de meninos... e sim comemos tudo aquilo que não produzimos.