terça-feira, 20 de julho de 2010

Trabalhar para o Bronze...



Só tem férias em Setembro? Não se dá bem com as multidões que invadem as praias ao fim- -de-semana? Estas páginas são para si: em Lisboa e no Porto, aproveite a hora de almoço e trabalhe para o bronze.

Jardim de Belém
Avenida Brasília, Lisboa

Até pode ser previsível, mas apostamos que não tinha olhado para este jardim como mais do que um parque infantil gigante. Aqui até pode levar uma toalha e deitar-se ao sol durante uma hora. Perca a vergonha e dispa a camisa/top/blusa/t-shirt (com biquíni vestido, no caso delas, claro). Ninguém vai achar estranho.


Miradouro do Monte da Agulha
Penha de França, lisboa

Em plena Penha de França há uma espécie de oásis escondido. Sente-se na esplanada (não se dispa), de frente para o sol e vai ver que o tom pálido que ostenta desde Novembro desaparece num instante. Aproveite e coma uma tosta de presunto com queijo de cabra e tomate.


Parque Eduardo VII
Parque Eduardo VII, Lisboa

Cá em cima, junto à obra do Cargaleiro (sim, o falo em pedra), o sol bate impiedoso. Sente-se ou deite-se no muro e absorva toda a vitamina D que a sua hora de almoço lhe permitir. Com sorte, pode aparecer em todas as fotografias de férias de turistas felizes que por ali passeiam, em jeito de emplastro.


Jardim do Morro
Avenida da República, Vila Nova de Gaia

Sobranceiro ao Porto, o Jardim do Morro tem vários espaços ajardinados que são sempre uma boa opção para um bronze citadino. Pode muito bem levar a toalha e estender-se ao comprido para uma boa tarde de sol. Outra hipótese para desfrutar do sol é o miradouro panorâmico, com vista sobre o centro histórico da Invicta.


Junto ao rio
Rua da Cintura do Porto de Lisboa

Ao pé do Tejo está sempre sol. Claro que não queremos que se vá estender junto dos pescadores de água doce que competem à beira rio. Uma esplanada pode ser a solução. Os Meninos do Rio têm umas cadeiras baixinhas perfeitas para apanhar sol. É conveniente que chegue ao meio dia, para ter lugar para se sentar (virado para a água). E pode estar descansado que nem precisará de gastar dinheiro: o serviço é tão fraquinho que pode passar uma boa meia hora sem que os empregados reparem em si.


Aliados
Avenida dos Aliados, Porto

Pode parecer estranho, mas em dia de sol, a Avenida dos Aliados é uma boa opção para quem deseja trabalhar para o bronze no centro da cidade. Deitar-se no chão é capaz de ser mais complicado, uma vez que o granito não é das superfícies mais agradáveis, mas as inúmeras cadeiras que povoam o espaço, em especial junto ao espelho de água de Siza Vieira e Eduardo Souto Moura, garantem uma tranquilidade pouco comum no centro da cidade.


Jardim do Torel
Rua do Telhal, Lisboa

Se há coisa que o Torel tem, é sol. Pode estender-se na parte de cima, na relva, ou ir até à esplanada situada na parte de baixo. Se for rebelde, estenda-se no chão, onde puder e der menos nas vistas. É melhor levar tampões para os ouvidos porque no piso inferior à esplanada há uma escola primária e já se sabe que as crianças gostam de gritar nos intervalos.


Parque das Nações
Parque das Nações, Lisboa

Já aqui dissemos que junto ao rio há sempre sol. No Parque das Nações, para além de sol, há bancos e muros a perder de vista, mesmo junto à água. Leve uma toalha, estenda-a num banco e aproveite. Talvez deva evitar despir a camisa caso trabalhe ali na zona, não vá dar de caras com o seu chefe. Bronzear sim, situações embaraçosas, não.


Monte do Tadeu
Bonfim, Porto

É a zona alta da cidade do Porto. Apesar de ser um pequeno jardim, tem todo um potencial a não deixar escapar: para os mais preguiçosos é uma boa opção para apanhar aquele o sol que no Porto nem sempre gosta de aparecer.

6 comentários:

Isa GT disse...

Esta modernice do Bronze, lá está mais uma mania das aparências, parecer saudável e poder ajudar um cancrozinho de pele ;)

Teófilo Silva disse...

Estou de acordo com a Isa. São manias pouco saudáveis.

Fê-blue bird disse...

Saudáveis ou não, são económicos ;-)
Excelente conselho, vou pensar nisso! Sempre é melhor do que fazer como na imagem lol lol

Bjos

Zé Manuel disse...

Brutal a ideia de me ir bronzear á hora de almoço para o Parque Eduardo VII.

http://cortadireito.blogspot.com/ disse...

Tenho a certeza que só meia dúzia de pessoas em cada praia, a procura para passear, sentir a areia nos pés, ver aquele azul da água em movimento; sentir a natureza!

Anónimo disse...

Trabalhar para o bronze é a antítese do que se espera de férias. O primeiro vocábulo arrasa com a mensagem de descanso. Depois e desde há várias décadas que só mesmo gente pouca informada (ok, a maior parte) acha bela uma pele estragada e prematuramente envelhecida. Infelizmente, o exemplo vem muito de figuras do semi jet-setinho parolo e local. De resto nao há uma unica top model, uma unica princesa (tirando as do Monaco que são uma classe de princesas à parte) ou actriz famosa que se deleite a estragar o capital principal da sua beleza. Vejam as revistas de moda, a sério, e analisem os tons de pele. Até a Naomi se protege!!
REsultado: copiam-se comportamntos idiotas propagados por apresentadoas de TV regional, e põem-se as novas gerações em perigo. Os numeros do aumento de cancro de pele são aterradores. As rugas essas, dão vonrade de rir. Fotoshop e plásticas para as «famosetes» o resto, caras encarquilhadas aos 30 e poucos anos.