terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Onde está o natal?


Enquanto uns, se preocupam em trocar de telemóvel, ou receber neste Natal o último computador portátil. Outros, preocupam-se em fazer valer o espírito do Natal.

Eu na noite de 24 de Dezembro estarei na rua a ajudar e a dar o que posso aos mais desfavorecido. E tu, seu cagão? Que apenas te preocupas com a roupa que vais vestir na consoada. Que apenas te preocupas com o serviço de mesa que vais usar. O que fazes pelo verdadeiro espírito natalício? Nada, não é. Não podes, disses tu. Ainda estás a pagar ao banco as férias no mês de Agosto no Brasil.

Não precisas de dar nada, dá a ti próprio, as mãos e os braços para trabalhar e ajudar quem mais precisa...

11 comentários:

Isa GT disse...

Este ano já tinha pensado nisso, mais a mais que a filha e a família estão longe...
Mais um anito ou dois, para o miúdo ficar mais crescido e acho que vamos passar, os dois, a fazer isso.

Bjos

Teófilo Silva disse...

Gostei deste post. O verdadeiro espírito de Natal é ajudar os desfavorecidos. Mas os cagões são isso mesmo. Só não tiram a camisa do corpo aos necessitados, porque esta já não presta!
Um abraço

aflores disse...

"O Verdadeiro Espirito de Natal"...é um assunto que "dá pano para mangas".

Ajudar os mais desfavorecidos, não é, não pode ser (E TU SABES DISSO) só no Natal.

Ás vezes, e perdoa-me se vou ser desagradável, mas não tenho a mínima intenção de magoar os teus sentimentos e maneira de estar, o "espirito de natal" (nesta altura), faz-me lembrar aquelas pessoas que só vão ao cemitério e recordam os seus familiares desaparecidos, única e simplesmente no dia dos Fieis Defuntos-.

É a minha opinião, simplesmente isso.

Grande abraço.

polittikus disse...

@ aflores:
Fui durante 12 anos, Vicentino. Para quem não sabe o que é. São pessoas, que cuidam de idosos abandonados pela família, ou que nem sequer a têm. Durante 12 anos vi a miséria humana, nos bairros de Lisboa. Dei banho a quem não conhecia, dei de comer a quem chorava de fome. O que ganhava? Por vezes um obrigado...
NÂO ME LEMBRO DOS POBRES APENAS NO NATAL.

Teófilo Silva disse...

Boa resposta!

aflores disse...

@ polittikus:

Prometo não me alongar muito no comentário, pois artigos de opinião não são para ser publicados aqui. Para isso existem outros locais próprios (blogs). No entanto, o respeito e admiração que tenho por ti (mesmo não te conhecendo pessoalmente), leva-me a "abusar" um pouco do teu espaço só para um pequeno mas necessário esclarecimento.

- Em parte alguma do meu comentário anterior, eu te acusei fosse do que fosse. Simplesmente dei uma opinião relativa a um assunto/problema que tenho a certeza também tu já tiveste oportunidade de confirmar. Aliás, o teu post é bem o exemplo disso;

- Para terminar e para complemento de informação (e minha opinião), quero dizer que, se tu sabes do que falas devido à tua experiência de vida durante a época em que foste Vicentino e até aos dias de hoje, eu também sei do que falo, não porque tenho a tua experiência mas, porque...já estive do "outro lado"...daqueles que não tinham nada (mesmo nada) e que sofria por ver a minha mãe impotente para dar de comer aos filhos e todo o resto que um ser humano tem direito, até um simples sorriso e respeito.

- Nessa (longa e triste) época, eu conheci gente maravilhosa, que me ajudou imenso independentemente da época. Mas, também conheci os "outros", os tais que falei no meu comentário.

Tenho a certeza que as nossas experiências pessoais davam um livro, um livro de exemplos de vida.

Como estamos em época natalícia, fico por aqui aproveitando a oportunidade para desejar a ti, família e todos os que te rodeiam, Boas Festas, com muito carinho, solidariedade, paz e amor.

E...OBRIGADO!

Mac Adame disse...

Eu, para a dizer a verdade, não gosto do Natal. Acho que o Natal torna ainda mais evidentes as diferenças que já existem.

Anónimo disse...

A humildade não existe.

Algumas pessoas só não têm nada para se vangloriar...

Polittikus disse...

@ Aflores:
Nesta cas estarás sempre á vontade para expressar a opinião que achares mais correcta. Percebo o teu ponto de vista, por isso escrevi este post. Com revolta, com os que nada fazem, a não ser para eles próprios...
Boas Festas com paz e miuito amor

Zé Manel disse...

Estas noites de consoada. Lembras-te na noite em que fomos para á esquadra porque tu quase bateste a um polícia que tinha empurrado um sem abrigo que estavamos a dar café e bolos.... Que Natal esse ano.

Fê-blue bird disse...

Um post que é um verdadeiro murro no estômago!
Gostei, assim como gostei de todos os comentários e das tuas respostas.
Cada vez me distancio mais do consumismo do Natal e cada vez procuro fazer mais pelos outros, até porque não sabemos quando pudemos estar do outro lado.

Beijinhos e muito amor e paz para todos