sábado, 27 de novembro de 2010

Natal de Lisboa


Com um simples clique no "interruptor", às 18.00 de hoje Lisboa começou a cintilar através de pequenas luzinhas que dão as boas vindas ao Natal. São mais de dois milhões e meio de lâmpadas, que iluminarão, 50 artérias da cidade, mais 11 do que no ano passado, até ao dia de Reis ( 6 de Janeiro).

Sob o mote "Natureza de luz, o ciclo da água", será prestada homenagem ao ano internacional da biodiversidade que este ano se comemora. Assim, quem se deslocar à Baixa terá por companhia a natureza. As instalações "darão à luz" árvores, arbustos, pingos de orvalho, nuvens, neve transportada pelo vento, céus carregados de chuva, raios de sol ou ondas do mar. Quem gosta de rios e mares deve concentrar-se na Rua Augusta e na Avenida da Liberdade; os amantes da vegetação poderão encontrá-la no Marquês de Pombal, no Rossio, na Rua do Almada e Carmo ou na Praça da Figueira. Já os agentes atmosféricos, esses, instalaram-se na Rua Garrett e noutras ruas da Baixa Pombalina.

Espero que os 846 mil euros que custou a iluminação de Natal da cidade, faça os lisboetas e não só, voltarem à tradição de fazerem as compram de Natal no comércio do centro da cidade e se deixem de arrastar, pelos centros comercias da periferia…

5 comentários:

aflores disse...

A coisa tá preta, muito preta mesmo, por estas bandas do Porto. Só esta semana é que se começou a ver numa ou outra rua da baixa "umas coisas" a quererem passar por iluminações de Natal.
Dizem que é a crise...mas a crise já existe há muito e se ainda por cima não arranjam maneira de "chamar" o pessoal à Rua e ao comércio tradicional, onde será que isto vai parar?

Enfim...

donatien alphonse françois disse...

DE facto,uma nota preta...É pena a baixa e o Chiado terem perdido a Magia, que,no fundo,é disso que se trata. Mas o comércio dos centros é franchizado, tirando raras excepções e o que encontro no C.C.C. encontro no V.G. da expo, por aí...

Rogério Pereira disse...

Leio e concordo
Apenas me assalta uma dúvida:
Se eu levar o meu neto a Lisboa
ele não ficará com a ilusão
não será grande o seu engano
pensando que as ruas assim são
nessa altura, no passado e todo o ano?

polittikus disse...

@ TODOS:
O comércio do centro apesar de franchizado, ainda tem coisas que ´so lá sew encontram... Os bolos da pastelaria Suiça e da Nicola, o verdaadeiro Bolo reei da confeitaria Nacional, o café preto da Brasileira, o Braz e Braz e a Pollux, que ganham em preço e qualidade a qulaquer loja do gato preto ou a AREA, emfim a cultura do sítio...

Isa GT disse...

O verdadeiro Bolo Rei, faço-o eu, todos os anos, com sabor de segredinho antigo, para além do vinho do Porto que muitos já cortaram há muito tempo... talvez em nome do lucro.

Bjos