domingo, 1 de agosto de 2010

Adeus...


As pessoas como o António Feio não morrem. Vão só ali. E ainda que fisicamente ausentes estarão eternamente presentes. Para sempre. O “Tóni” não morreu. É imortal. Foi só comprar tabaco. Até já Toni…


Notícias Relacionadas:
O homem que levava o teatro às pessoas

6 comentários:

Polittikus disse...

Jamais esquecerei o dia em que te vi no auditório da Junta de Freguesia de Benfica com o colete de vaca vestido a sair do teu Porsche...

aflores disse...

Um aplauso para ele e para esta singela e sincera homenagem. Só lamento que os "srs" da cultura (ou que a controlam) só se lembrem destes grandes actores quando morrem ou quando têm "aquela" doença. É no mínimo hipocrisia.

Infelizmente o António Feio morreu...mas a obra dele é imortal. Está já ali...é só clicar. E esse prazer eterno jamais nenhum "sr da cultura" nos conseguirá tirar.

Kimbanda disse...

Morreu, mas a obra fica a eterniza-lo.
Infelizmente também ficam "outras" conversas da treta que ele tão bem e com muito sarcasmo utilizou para desmontar a hipocrisia de alguns.
Boa semana e deixo o meu kandando.

Osvaldo disse...

Caro PolittiKus;

Um GRANDE que apenas foi ali, já vem...

Que exemplo de coragem ele nos transmitiu e que belos conselhos nos deixou. Só temos que seguir as suas frases.

Um grande abraço.
Osvaldo

L.O.L. disse...

Um grande homem e um grande actor com grande coração e grande alma. Estas pessoas JAMAIS morrem.

Teófilo Silva disse...

Também digo o mesmo. Mas preferia não dizer: ELE NÂO MORREU.
Assim não mais vamos ter esse Homem que merece bem um H grande, que nos deu uma lição da vida e até da morte como ninguém.
Mas como se lê em todos os comentários, este Homem e a sua história são imortais.