segunda-feira, 31 de maio de 2010

Trouxas da Malveira

Segunda-feira, dia de voltar ao trabalho e de recordar uma volta saloia para quem mora em Lisboa. Desta vez, ainda com os aromas da zona Oeste e uma recordação para o paladar...



Inspirada nas antigas lavadeiras saloias (que traziam, à cabeça, as trouxas de roupa que “a freguesa deu ao rol”), Maria Emília Esteves lança em 1952, com um êxito quase imediato, as famosas Trouxas da Malveira, deliciosas tortinhas de pão-de-ló com saboroso creme de baunilha e frutos secos moídos.

Na Malveira “lança-se” no negócio, das pastelarias, num pequeno espaço junto à passagem de nível a que deu o nome de Tentadora. D. Emília não tinha mãos a medir para tantos pedidos (pois enquanto o comboio não passava, também não passava ninguém e assim os passageiros de carros e autocarros saíam para “trincar” alguma coisa no pequeno estabelecimento). Então, para a ajudar, a empreendera senhora, chama para junto de si a afilhada e uma velha amiga, conhecedora de receitas e segredos de doces conventuais, incluindo as trouxas.

Primeiro foram os pastéis de grão e feijão a tornarem-se o ex-libris da Tentadora, mantendo-se assim por muitos anos, até que a sua velha amiga, começou a fazer as trouxas (as tais tortinhas de pão-de-ló e creme), um doce muito leve e requintado que confeccionava em pequenas quantidades e destinado a uma clientela mais fina. Entretanto a amiga morre, mas o segredo das trouxas fica em casa de D. Emília.

Pega então na massa e decide começar a fazer das trouxas a sua especialidade e lança em 1952, precisamente no dia do seu casamento a “marca” que todos conhecemos. De então para cá as Trouxas da Malveira ganharam apreciadores (e outros pontos de venda), tanto que, hoje em dia, pode-se afirmar se só ficou a perder quem nunca provou uma…


Trouxas Relacionadas:
Pepe fica, Zé Castro cai e Moutinho esteve perto. Literalmente
Mourinho: «Bonito não é jogar pelo Real, é ganhar pelo Real»

8 comentários:

Isa GT disse...

Gosto muito de montes de doces tradicionais, destas, tentúgal, queijadas e travesseiros de Sintra,...Tudo Incompatível com esta vida do rabo sentado e nariz enfiado na blogosfera, num ano já engordei e não gozei a comer trouxas lol

Zé Manuel disse...

És uma grande amigo de facto. Foste passear lá para os lados dos saloios, mas trazer uma troxazinha ao amigo está quieto!

L.O.L. disse...

Só sei que fiquei com água na boca, já não me lembro do sabor das trouxas.
:(

Bartolomeu disse...

Digo e repito:

os eclairs da Evian, ali no Uruguai, são os melhores de Lisboa!

Teófilo Silva disse...

Pois é, trouxas para aqui trouxas para ali e eu armado em trouxa sem comer trouxa nenhuma!
Mas que são muito boas isso não haja dúvida.

polittikus disse...

@ Bartolomeu:
Conheço a Evian á anos e já foi frequentador assíduo, mas acho que nunca provei os eclairs de lá. Mas as bolas de Berlim do NILO... ai, ai.

Julio Amorim disse...

Achtung GULOSOS !!!!

Benfica é a melhor "região pasteleira" da Europa....e provavelmente do resto do mundo. Mas essa é só a minha modesta e gulosa opinião...claro!

janjanreis disse...

ainda tras a quadra dento da caixa?

comam trouxas, nao seja trouxa
delicia que nos encanta
nao se esqueca de levar
trouxas para aquela santa (sogra)