domingo, 30 de maio de 2010

Agricultores de Cidade



Quem vive nas grandes cidades, está habituado a ver pequenas hortas espalhadas entre a urbe de prédios feitas de canteiros com restos de tábuas e sulcos cavados há beira de uma via rápida qualquer. Nestas hortas urbanas, crescem toda a espécie de legumes. Abóboras, tomates, cebolas, feijão, alfaces verdes e roxas, tão brilhantes que parecem de plástico, tremoços, favas e batatas. Há pessegueiros e flores cheias de abelhas, borboletas e toda a espécie de fauna esvoaçante. E por momentos não nos lembramos que estamos no meio de uma cidade, com calçada portuguesa de um lado e tubos de escape do outro.

Esta paisagem tão típica de qualquer cidade portuguesa está a tornar-se moda nos EUA, onde a febre da agricultura já invadiu as cidades e impôs-se como uma tendência. Seja em terrenos seja nos telhados dos arranha-céus: verde é a cor da estação. A dedicação à causa é tão grande que algumas empresas americanas já fabricam vasos para plantar vegetais... de cabeça para baixo. (www.topsygardening.com), para aproveitar melhor o espaço.

Afinal, Portugal não é um pais atrasado, é um criador de tendências...


Notícias Relacionadas:
Agricultura urbana: da cidade para o prato
David Servan-Schreiber: "A minha saúde é muito melhor do que antes de ter tido cancro"
Para ser mais feliz tem um bom remédio: não compare salários

12 comentários:

polittikus disse...

Agora que falas nisso. Nunca tinha reparado, mas de facto vêem-se muitas hortas á beira do IC-19.

polittikus disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Teófilo Silva disse...

Isso é verdade. As pessoas utilizam pequenos espaços para terem a sua mini-horta onde cultivam couves, feijões etc.
Vi em Lisboa quem tinha até um típo de morangueiros em vasos nos varandins, que trepavam numa vara e davam os morangos suspensos como os feijões.
É bonito ver estas mini hortas, muitas das vezes em suspenção.

Anónimo disse...

Em Benfica ainda existem muitas dessas hortas. Assim, como um pouco por toda a cidade de Lisboa

Rogério Pereira disse...

Caro Polittikus

Em primeiro lugar deixe que o felicite pela escolha dos seus temas e causas. Alinho nelas. Por isso passei a ser seguidor

Segundo este seu post merece reforço. O Porto está a tomar uma iniciativa que me levou a escrever um texto, à minha maneira, lá no meu blogue. Dizia assim:

Hoje, com a minha persistente inocência, dei por mim a acreditar nesta iniciativa: "Proporcionar à população do Porto (Largo Duque da Ribeira) a participação colectiva num projecto de utilidade comum, promover a responsabilidade partilhada nos espaços públicos, renovar a paisagem urbana, tornando-a mais aprazível e saudável, e formar crianças e jovens para começarem desde cedo a valorizar o meio ambiente" são os objectivos deste "Farmville" real". Contudo, não deixava de chamar à atenção para o deplorável abandono de terras de elevado potencial agricola...

Alinho na Campanha "Compro o que nosso". Mas não seria de criar outra, tipo "Produza-se em Portugal"?

Abraço

L.O.L. disse...

É isso mesmo.

Vivam os vegetais

Bartolomeu disse...

Olá polittikus,

acho sempre graça quando vejo pessoas espantadas com estes assuntos.

Agricultura biológica e Permacultura, são de facto conceitos que me fazem rir. Parecem coisa para tolos, na medida que reflectem práticas ancestrais que sempre conheci.

Agricultura urbana!?!? Ainda há zonas de Lisboa que são conhecidas pelas hortas, uma memória com menos de 100 anos.

Uma vez mais, nada de novo!

E mais não digo, para não ser incorrecto.

Abraço

polittikus disse...

@ Bartolomeu:
Benfica ainda hoje é uma zona saloia cheia de hortas...

Bartolomeu disse...

@polittikus

não sou saloio, cruzes credo, lol , mas venho do Ribatejo e toda a vida não vi outra coisa... daí o meu já referido espanto.

polittikus disse...

@ Bartolomeu:
eu sou saloio nascido e criado em frente ao estádio da luz. Fonte nova, para ser exacto.

Bartolomeu disse...

ó polittikus,

até ás portas de Benfica é tudo Lisboa, urbanidade & poluição... e a propósito a Evian tem os melhores eclairs de Lisboa!

:P

Enrique disse...

Sou espanhol e por tanto suspeito mas o a de "Há beira" é sem H e sem tilde.
Nascí numa aldeia que agora esta a morrer mas onde as hortas eram tudo...
Parbens por chamar a atenção para isto...