quinta-feira, 15 de Abril de 2010

SUMOL



A história da Sumol remonta a 1950, e a um grupo de amigos decidiu abrir em Algés um negócio de fabrico de gelo, laranjadas e gasosas: a Refrigor, Lda.

É esta empresa que passados quatro anos, após a entrada de um novo sócio, António João Eusébio, apresenta pela primeira vez o refrigerante Sumol ao público. No café Caravela d’Ouro, em Algés, no ano de 1954, o Sumol surge como “uma nova especialidade de sumo de frutas”.
Uma nova “especialidade” que não se ficava só pelo sabor, já que o Sumol acabou por nesse mesmo ano marcar presença no mercado como a primeira bebida de sumo de fruta pasteurizada em Portugal. Daí que a assinatura “sem corantes nem conservantes” tenha sido ao longo de muitos anos uma das grandes bandeiras da marca.

Na verdade, o historial de marca surge em muitos pontos associado à inovação. Foi também a Sumol quem primeiro partiu para a utilização de garrafas verdes, pela protecção acrescida que oferecia às propriedades da bebida.
Mas se por um lado é a inovação um dos elementos caracterizadores da marca, também é certo afirmar que terá sido uma forte estratégia de proximidade com o consumidor que vincou desde logo a Sumol no mercado. Antes da existência da televisão, altura em que a comunicação era propaganda – cartazes, toldos, letreiros nos locais de venda –, a Sumol apostou na presença em cafés e restaurantes de Norte a Sul do país, com os slogans “Beba Sumol” e “Especialidade de Sumos de Frutas”.

A primeira campanha televisiva da Sumol surge em 1965 e recorre a uma animação – na altura ainda a preto e branco – com um gato e um cão.
O ano de 1991 marcou a primeira mudança de imagem da marca Sumol. Do antigo rótulo de fundo branco a marca passa para o rótulo de fundo verde às riscas, começando a deixar para trás as garrafas pirogravadas. Foi esta a primeira fase daquilo que a marca chama de “rejuvenescimento da imagem”.

Já em 1997, numa segunda fase de “rejuvenescimento”, as riscas passam a “manchas” no fundo do rótulo, mantendo a tonalidade de verdes como parte da identidade Sumol. É também nesta fase que o logótipo abandona a orientação horizontal e passa a ter leitura vertical. Mas as alterações na Sumol não se ficariam por aqui.

Em 2003 surge o ícone da marca, através de uma estilização do símbolo ómega, que passa a estar presente nas cápsulas e gargantilhas das garrafas, com destaque da letra S, enquanto o fundo verde evolui para uma imagem salpicada de gotas de água.

Já mais recentemente, Maio de 2008, a Sumol volta a lançar uma nova imagem. Com um novo “logo” e um novo rótulo a marca adopta um código estético mais actual, apostando num jogo de tonalidades de verde ao mesmo tempo que concede destaque central à fruta. A acompanhar esta nova imagem a Sumol lança a campanha “Junta”, rebuscando a assinatura que tem vindo a utilizar : “Unidos pelo sabor”.
A Sumol é assim, uma prova da qualidade e esforço das marcas portuguesas, que lutam contra as marcas multinacionis do mesmo segmento.
Eu nunca trocaria um Sumol laranja, por uma Fanta...

4 comentários:

aflores disse...

Eu não gosto de Sumol, mas sem dúvida que é uma marca "made in Portugal", com uma história de sucesso.

O meu aplauso!
;)

Teófilo Silva disse...

Eu já gostei de Sumol na época em que era mais natural.
Quando não continha corantes nem conservantes.
Também o meu apoio ao Sumol e a todos os produtos Portugueses.

arte por um canudo 2 disse...

E assim se inova!..Não só no Sumol mas também na óptima reportagem que fazes sobre a bebida. Fica o registo para a história da bebida refrigerante Sumol. Muito bem. Gostei. Gr. abraço

Rui Borges disse...

Eu, por pertencer aos "Sumólicos Anónimos" não vou assinar o meu post, mas que é a minha bebida preferida, ah isso é!!! E tenho somente 41 anos!!! 1 Sumol bate 1 imperial ou 1 copo de vinho "do melhor" em QUALQER altura!!!!

Rui Borges